O banho de folhas é procedimento comum, tanto aos Umbandistas propriamente ditos quanto aos consulentes que passam por tratamento espiritual com as entidades que se manifestam na Umbanda.

Apresento aqui uma forma “um pouquinho mais rigorosa” de preparo do banho que, com certeza, maximizará seu efeito. Lembrando que concentração, calma e paciência são extremamente necessárias para qualquer ritual mágico, o que inclui a preparação de um banho de folhas.  Por fim, considere que durante o procedimento de preparo do banho, acender uma vela ao seu Anjo da Guarda e fazer-lhe uma oração pedindo proteção é igual a tomar canja de galinha…não faz mal a ninguém!

1 — A colheita das Folhas:

Como todos sabemos, a Lua exerce grande influência sobre nosso planeta. Com as plantas não é diferente. Durante as fases crescente e cheia a seiva das plantas está em sua parte aérea, ou seja, acima do nível do solo, no caule e nas folhas. É a quinzena propícia para colher folhas ricas em seiva. Já nas fases minguante e nova, a seiva se concentra na raíz das plantas, deixando suas folhas “pobres”. Seria a quinzena ideal de fôssemos utilizar a raiz da planta para o banho, porém é melhor utilizarmos suas folhas e mantê-las vivas.

É também importante salientar ser preferivel utilizar uma planta proveniente de um jardim doméstico, ou colhida no meio de uma mata a uma comprada proveniente de produção agrícola, pois a plantas cultivadas com aditivos agroquímicos tem um campo energético menos equilibrado que as que receberam apenas adubo orgânico ou nenhum.

Não se esqueça de saudar “Ewê Assá” e pedir licença a Ossain, o senhor da magia das folhas, antes de colhê-las.

2 — O preparo das Folhas:

Certifique-se que está de posse de todas as folhas necessárias.  Todo banho é composto por 1, 3, 5 ou 7 tipos diferentes.  Lave-as bem em água corrente para retirar qualquer sujeira (de pássaros, pó ou de insetos).  Isto feito, passemos ao exorcismo das folhas, um procedimento simples que se assemelha a um benzimento que qualquer um pode fazer.  Pronuncie com Fé a seguinte oração enquanto segura as folhas:

“Aben † çoai Senhor estas folhas para que sejam remédio salutar para o gênero humano, e atendei pela invocação de Teu Santo Nome, para que, quem quer que delas se utilize ou prove, receba a santidade e proteção do corpo e da alma.  Por † Cristo † Nosso Senhor. Amém.”

obs: O símbolo † representa que neste momento deve ser feito o Sinal da Cruz com a mão sobre o objeto em limpeza.

3 — A água

Em um recipiente adequado (tigela preferencialmente de vidro ou cristal) previamente limpo, coloque 1 litro de água limpa e fria para cada dia de banho. Por exemplo: para um banho de 7 dias coloque 7 litros de água. Este banho, com folhas verdes,  não vai ao fogo!  O ideal é utilizar Água Lustral para o banho, porém, como muita gente mora na cidade, cercado de concreto por todos os lados, imagino a dificuldade em preparar sua própria água lustral.  Como medida paleativa, o que você pode fazer é deixar o banho (já preparado com água normal) passar a primeira noite exposto ao sereno, coletando assim uma “pitada” de água lustral e depois fazer o exorcismo do banho todo pela oração da água lustral.

4 — Maceração

Macere as folhas no recipiente já com a água, uma a uma, usando suas próprias mãos procurando extrair o máximo do sumo. Depois de maceradas deixe-as na água.

5 — Coagem

No dia seguinte, com ajuda de uma peneira, retire as folhas do recipiente.  Descarte-as ao pé de uma árvore, num jardim ou ainda nas águas de um rio; nunca no lixo!

6 — O banho

— Após o seu banho de asseio normal, separe em um outro recipiente aproximadamente 1 litro do seu banho de folhas. Em dias frios, você pode acrescentar um pouco de água quente do próprio chuveiro para quebrar o gelo, porém o banho será tanto mais eficaz quanto mais frio estiver. (leia o texto sobre a água)

— Despeje o banho pelo seu corpo do pescoço para baixo; nunca na cabeça! Banhos no Orí são muito específicos e não devem ser executados sem a instrução explícita de Entidade em que você confie.

— Não se enxugue esfregando a toalha no corpo, apenas encoste a toalha deixando-a absorver o excesso de umidade, já que o esfregar cria cargas elétricas (estática) que podem anular parte ou todo o banho.

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ Pronto, você já está limpinho!!! ≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡

Não é necessário falar que depois do banho o ideal seria repousar, meditar ou participar de um ritual de Umbanda e aproveitar seu efeito em vez de encher a pança de carne ou cerveja, certo?