O chakra Sahasrara é a sede da perfeição maior do homem.  Em algumas escritas antigas é tido como flutuando sobre a cabeça.  Brilha com todas as cores do arco-íris, mas a cor predominante é o violeta.  A flor exterior do chakra é formada por 960 folhas.  No seu interior, encontra-se uma segunda flor com 12 folhas, que brilha com uma luz branca impregnada de dourado.

Da mesma forma como na luz incolor estão reunidas todas as cores do espectro, assim unem-se nesse chakra as energias dos centros inferiores.  O chakra Sahasrara é a fonte e o ponto de origem da manifestação das energias dos demais chakras.  Nele estamos ligados ao Ser infinito, divino e sem forma que contém em si todas as formas e qualidades não manifestadas.

É o lugar onde nos sentimos em casa.  Nele começou a nossa viagem pela vida e é para ele que voltaremos no fim do nosso desenvolvimento.  Nele vivemos e nos sentimos em Deus, nos tornamos unos com a origem divina da qual  proviemos.  Nosso campo de energia pessoal misturou-se com o campo energético universal.

Aquilo que antes compreendemos  de modo intelectual e depois de forma intuitiva torna-se agora uma compreensão completa.  A compreensão que conseguimos através do Sahasrara supera de longe o que nos é transmitido através do Ajna, pois aqui não estamos mais separados do objetivo da percepção.  Nele experimentamos as mais diversas formas de expressão da Criação, entre as quais também se situa o nosso corpo, como um brinquedo da consciência divina, com a qual nos tornamos unos.

O caminho para o desabrochar do chakra mais elevado é marcado pela cor violeta.  Essa é a cor da meditação e da abnegação.  Enquanto para a ativação dos seis centros de energia inferiores podíamos agir concretamente por conta própria, agora podemos nos abrir e transformar num receptáculo.

Através do desdobramento do sétimo chakra desfazem-se também os últimos bloqueios delimitantes nos outros chakras, e suas energias começam a vibrar nas freqüências mais elevadas possíveis.  Cada chakra torna-se um espelho do Ser divino no seu plano correspondente, expressando com isso, o potencial mais elevado à sua disposição.

Tão logo o chakra Sahasrara esteja totalmente desperto, sua tarefa de absorver energias cósmicas está terminada.  Ele irradia, então, energias próprias.  Nisso, o “cálice da flor” se expande para fora, formando uma coroa de pura luz sobre a cabeça.

Funcionamento harmônico

No sétimo chakra não existem bloqueios no seu verdadeiro sentido.  Ele pode ser apenas menos ou mais desenvolvido.  Quando o Sahasrara começa a se abrir, você experimenta cada vez mais aqueles momentos em que a separação entre o ser interior e a vida exterior é anulada.  Sua consciência fica totalmente quieta e plena, e nesse silêncio você vivencia o seu verdadeiro ser como ser puro e onipresente no qual tudo existe.

Com o crescente desdobramento do Sahasrara, esses momentos ocorrem com maior freqüência e se tornam cada vez mais claros, até se transformarem numa realidade permanente.  Quando a sua personalidade estiver madura para isso, essa iluminação final poderá acontecer subitamente, não havendo, então, nenhum retrocesso na sua evolução.  Você sente que despertou de um prolongado sono e que somente agora vive na realidade.  Nesse caminho, tornou-se um receptáculo vazio, e nesse vazio derramou, até o último recôndito, o Ser divino.  Você sabe agora que esse é o seu verdadeiro ser, a única realidade imutável.  O seu “Eu” universal.  Em suas ações, torna real a intenção do Criador, e a luz que você irradia abre o coração de todos os seres receptivos à presença divina.  Quando você agora deseja saber algo, basta que dirija sua atenção para o assunto, pois tudo existe no seu interior, naquele ser divino com o qual se tornou uno.  Desse modo, a Criação é um jogo que se desenrola na sua consciência ilimitada.

Você reconhece que até mesmo a matéria sólida não é outra coisa senão uma forma-pensamento da consciência divina e, com isso, não existe no verdadeiro sentido.  Tudo o que você tem considerado real torna-se assim uma ilusão.  Você sente o maior vazio, mas esse vazio é idêntico à grande plenitude, pois é a vida na sua essência pura.  E essa essência divina da vida é a felicidade pura.

Meditações e sentimentos de abnegação em relação a Deus podem proporcionar-lhe, melhor do que em qualquer outra época, a compreensão da sua origem divina e favorecer experiências de unificação.  Desse modo, você deveria aproveitar essa oportunidade para, mais do que nunca, dedicar-se à introspecção.

Nesse conjunto, consideramos  também interessante o fato de a fontanela de um recém-nascido estar aberta nos primeiros 9 até 24 meses.  Na época inicial da sua existência terrena, as crianças ainda vivem com a consciência de uma unidade não dividida.

Efeitos de um sétimo chakra muito fechado

Como já vimos, a abertura e harmonização dos chakras descritos até aqui pode nos proporcionar uma grande riqueza de conhecimentos, experiências e habilidades.  Todavia, sem a abertura do chakra Sahasrara você continua sentindo uma separação da plenitude do ser e, com isso, não está totalmente livre do medo.  Devido a esse medo, você mantém um resto de bloqueios nos chakras.  Eles não podem atingir o máximo de suas possibilidades, as diversas energias não vibram em concordância plena coma intenção do Criador e vibram em desarmonia umas com as outras.

Caso você não se abra para as realidades espirituais, nos anos em que prevalece o desenvolvimento do Sahasrara, poderão aparecer, nessa época, sentimentos de insegurança e de desorientação.  Você deverá considerá-los uma indicação para olhar mais para o seu interior.  Talvez você se conscientize também de uma certa insensatez da sua vida até então.  O medo da morte também pode surgir na sua mente com maior nitidez.  Talvez você esteja tentando acabar com esses sentimentos corrosivos através da fuga para diversas atividades, ou impondo a si mesmo novas responsabilidades a fim de comprovar que você é insubstituível.  Todavia, não raro nesse estado as pessoas atraem uma doença que as força a descansar.  Se você não der atenção às mensagens, é provável que fique preso, na sua vida subseqüente, a superficialidades e as limitações do seu “Eu” pessoal.


ouça o mantra (SHAM)

Veja também:

Chakras

MuladharaSvadhisthanaManipuraAnahataVishuddhaAjnaSahasrara

O Chakra Umeral

———————————————————————————————————————————–

fontes:

livro: Chakras – Mandalas de Vitalidade e PoderShalila Sharamon / Bodo J. Baginski (Ed. Pensamento)

site: Espiritualismo / Beraldo Lopes Figueiredo