Oxóssi

Oxossi-Sao_Sebastiao

Santuário Nacional da Umbanda

 

Oxóssi é o Caçador das Almas da Umbanda, e como caçador, procura arrebanhar almas desgarradas para futuramente formar um só rebanho.

É o Senhor da Doutrina, aquele que atinge o coração e a inteligência das almas envoltas em suas vibrações.

É o Médico, o Doutrinador e Pastor das almas. Cura as chagas, ensinando a substituição do ódio pelo amor, da luta pela trégua, da insubmissão pela submissão às Leis Divinas.

É o grande Caçador das Almas, o orientador, aquele que mostra o caminho a ser seguido pela humanidade, modificando inteligências e consciências, atuando na mente e no coração. Essa é a função de Oxóssi.

Os 7 Caboclos Principais Representantes da linha de Oxóssi

— Caboclo ARRANCA-TOCO

— Caboclo COBRA-CORAL

— Caboclo TUPYNAMBÁ

— Cabocla JUREMA

— Caboclo PENA BRANCA

— Caboclo ARRUDA

Caboclo ARARIBÓIA

Os Caboclos

Quando falamos em Oxóssi, logo nos vêm à mente os caboclos. São espíritos com alto grau evolutivo, oriundos de todas as raças. Na Umbanda, têm uma função relevante, pois são eles que assumem a frente nas linhas de trabalho dos médiuns. Os caboclos são o elo de ligação do médium com os Orixás. Tudo o que se falar em respeito aos caboclos será pouco em relação ao intenso trabalho que realizam. Os caboclos de Oxóssi são todos doutrinadores no astral. Atuam em todas as sete linhas, cada um com uma vibração própria. Existem centenas de nomes de caboclos. Muitos são conhecidos, até famosos, outros quase não se apresentam por seus nomes.

Atuam através do ponto de força da natureza, as florestas. As matas emanam uma energia etérea que é muito utilizada para curas espirituais. São as essências etéreas das ervas que lá existem, e que são usadas pelos espíritos na cura das almas doentes, encarnados e desencarnados. Certos rituais naturalistas dizem que ao abraçarmos uma árvore esta absorve todas as energias negativas ao redor de nossa aura. O contato com água de cachoeira limpa a aura, assim como o mar também a limpa e fluidifica. Mas o contato com as árvores limpa, fluidifica e impregna os nossos poros e chacras com o seu fluido, que age como um poderoso antibiótico contra as larvas astrais.

No Candomblé

Quatro são as qualidades, conhecidas de Oxóssi: Odé, Oxóssi, que se acabou tornando o nome principal dos quatro tipos, Otim, o companheiro que vai pelas matas ao lado de Ogum, usa só a lança, e não o arco e flecha, e veste apenas roupa azuis, e Inlé ou Ibualama, o único Oxóssi a vestir-se apenas com couro, que usa um chicote feito com tiras de couro, chamado Bitalá , Inlé foi casado com Oxum Pandá e é pai do Orixá Logun-Edé.

Oxóssi é o Orixá masculino Iorubá responsável pela fundamental atividade da caça. Por isso, na África é também cultuado como Odé, que significa caçador. Tem em comum com Ogum a utilização da floresta, mas enquanto o senhor da guerra percorre as matas nas lutas militares, Oxóssi tem na floresta o próprio fim. Enquanto Ogum percorre a mata para abrir caminhos e ampliar o território através das guerras, Oxóssi nelas se esconde para capturar os animais. Ao mesmo tempo, Oxóssi está mitologicamente muito próximo de Ogum, como conciliando o novo e o velho, as novas atividades com as tradicionais.

Outro dado que identifica e aproxima Oxóssi de Ogum é o fato de ambos representarem atividades e possuírem temperamento próprios de uma mesma faixa etária, a juventude (mais não a adolescência, pois são mitos adultos e viris), onde a energia se expressa fisicamente.

Oxóssi é o que basta a si mesmo. Oxóssi, é filho de Iemanjá com Orunmilá. É divinização da floresta, reinando sobre o verde sobre os animais selvagens, dos quais é considerado o dono e dos quais tem todas as virtudes.

A essência de Oxóssi é “atingir um objetivo”. Fixar um alvo e atingi-lo. Alimentar a família. Oxóssi sempre foi o responsável por alimentar a família. É considerado o orixá que dá de comer às pessoas, pois sob seus domínios estão os animais e os vegetais. Assim, invoca-se a energia de Oxóssi quando se quer encontrar algo ou atingir algum objetivo e para prover sustento (moral ou físico) durante as jornadas.

No limite, é Oxóssi o patrono da natureza, enquanto Ogum é da agricultura. Como sempre foi muito observador aprendeu também os mistérios e poderes das plantas com Ossâim, orixá dono dos poderes de cura das folhas,

Invoca-se Oxóssi, portanto, quando se quer encontrar remédios para certos males, embora seja necessário pedir a Ossâim que o remédio faça efeito.

Características dos filhos de OXÓSSI

O filho de Oxóssi apresenta arquetipicamente as características atribuídas do Orixá. Representa o homem impondo sua marca sobre o mundo selvagem, nele intervindo para sobreviver, mas sem alterá-lo.

Desconhece a agricultura, não muda o solo para ele plantar, apenas recolhe o que pode ser imediatamente consumido, a caça.

No tipo psicológico a ele identificado, o resultado dessa atividade é o conceito de forte independência e de extrema capacidade de ruptura, o afastar-se de casa e da aldeia para embrenhar-se na mata, afim de caçar. Seus filhos, portanto são aqueles em que a vida apresenta forte necessidade de independência e de rompimento de laços. Nada pior do que um ruído para afastar a caça, alertar os animais da proximidade do caçador. Assim os filhos de Oxóssi trazem em seu inconsciente o gosto pelo ficar calado, a necessidade do silêncio e desenvolver a observação tão importantes para seu Orixá.

Incapaz de negar qualquer ajuda à alguém, sabe, como poucos, organizar o caminho para as soluções complicadas. Com respeito à sua própria organização familiar, é muito apegado as suas coisas e à sua família, à qual dedica atenção total no sentido de provê-la e encaminhá-la. Diante as dificuldades próprias é muito hesitante, mas acaba vencendo, sustentado pelo seu interior alegre e otimista. É carente. Não assume o problemas dos outros, mas fica lado a lado ajudando-os. Ama a Liberdade e a Natureza. O mato, as águas, os bichos , as estrelas, o sol e a lua, são a bússola de sua vida. Não discute a fé. Acredita e é fiel seguidor da religião que escolheu. Não é ciumento e muito menos rancoroso. Quando atacado custa revidar. Quando o faz se torna perigoso. É, neste particular, astuto como os índios. Pisa macio, mas é certeiro.

Geralmente Oxóssi é associado às pessoas joviais, rápidas e espertas, tanto mental como fisicamente. Tem portanto, grande capacidade de concentração e de atenção, aliada à firme determinação de alcançar seus objetivos e paciência para aguardar o momento correto para agir. Sua luta é baseada na necessidade de sobrevivência e não no desejo de expansão e conquista. Busca a alimentação, o que pode ser entendido como sua luta do dia-a-dia. Esse Orixá é o guia dos que não sonham muito, mas sua violência é canalizada e represada para o movimento certo no momento exato. É basicamente reservado, guardando quase que exclusivamente para si seus comentários e sensações, sendo muito discreto quanto ao seu próprio humor e disposição.

Não gostam de fazer julgamentos sobre os outros, respeitando como sagrado o espaço individual de cada um. Buscam preferencialmente trabalhos e funções que possam ser desempenhados de maneira independente, sem ajuda nem participação de muita gente, não gostando do trabalho em equipe. Ao mesmo tempo, é marcado por um forte sentido de dever e uma grande noção de responsabilidade. Afinal, é sobre ele que recai o peso do sustento da tribo.

Podem ser paternais, mas sua ajuda se realizará preferencialmente distante do lar, trazendo as provisões ou trabalhando para que elas possam ser compradas, e não no contato íntimo com cada membro da família. Não é estranho que, quem tem Oxóssi como Orixá de cabeça, relute em manter casamentos ou mesmo relacionamentos emocionais muito estáveis. Quando isso acontece, dão preferência a pessoas igualmente independentes, já que o conceito de casal para ele é o da soma temporária de duas individualidades que nunca se misturam. Os filhos de Oxóssi, compartilham o gosto pela camaradagem, pela conversa que não termina mais, pelas reuniões ruidosas e tipicamente alegres, fator que pode ser modificado radicalmente pelo segundo Orixá (ajuntó). É portanto, o tipo coerente com as pessoas que lidam bem com a realidade material, sonham pouco, têm os pés ligados à terra.

Saudação: Okê Arô
Ponto de Força: Matas
Sincretismo: São Sebastião
Data Comemorativa: 20 de Janeiro
Dia da Semana: Quarta-feira
Cor de vela: Verde
Colar de contas: Verde
Ervas: Pitanga, Manhericão
Flores: Palmas
Oferenda: Ojojó, Milho Cozido, frutas (exceto abacaxi e limão)
Bebida: Água
468 ad

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »