Sou Exú

Bom para que é bom, mal para quem é mal.

Darei a você tudo o que me pede, não somente porque eu posso, mas para que você entenda o valor de suas decisões.

Trago uma cruz tatuada no peito, não por devoção ao seu Salvador, mas para lhe mostrar que o destino é uma grande encruzilhada.

É que só depende de ti o caminho que irá escolher.

A sombra é minha morada, não porque me escondo da luz, pois na penumbra vejo seu lado obscuro, e não deixo que ele se aposse de você.

Minhas gargalhadas são para lhe mostar que passas a vida toda envolta em orgulhos, ambições, mentiras e luxúrias,

Mas que desse lado isso de nada valerá; verás que esses vícios se tornarão pesados grilhões e que terá de arrastá-los nesse deserto árido, sem tempo definido….talvez pela eternidade.

Seu mundo é uma grande ilusão,

Aqui farei você enxergar com os olhos do espírito o que você não quis ver com os olhos da matéria.

Só existe uma lei, criada antes do tempo

Não foi eu quem a criou, eu apenas a observo…você e somente você é responsável pelos seus atos.

Sou o Guardião, o Juiz, o Executor, O Lado Esquerdo, Seu espelho…

Sou Exú.

texto de Fábio Vieira, publicado no “Jornal de Umbanda Sagrada” Junho/2010.

nota: Réquiem = Prece pelos mortos.