Ser Umbandista: Um Privilégio!

São Jorge / Ogum
Santuário Nacional da Umbanda

Poder participar de uma Gira de Umbanda é realmente um grande privilégio.  E quando todos estão com seus pensamentos alinhados; estão lá porque querem estar lá, concentrados unicamente no momento, então é verdadeiramente uma bênção.  A vibração atingida pode ser sentida mesmo fora do terreiro.  A comunhão de energia com a egrégora é espantosa.

Dentro desses momentos já pude observar alguns fatos muito interessantes.  Certa vez, numa Gira em 2010, havia na assistência alguns estudantes do curso de Artes Cênicas, previamente autorizados, na intenção de apenas observar a Gira, para colherem informações que lhes ajudariam em um trabalho de escola.  Ainda sentados, apenas observando, alguns simplesmente começaram a “passar mal” e ao serem atendidos pelas entidades da casa, acabaram incorporando seus Guias.  Inclusive, uma das jovens gostou tanto que acabou entrando para a nossa Casa e hoje, faz parte do corpo mediúnico.  Situações assim se repetem, mas normalmente com pessoas que estão lá por motivos religiosos.

Na Gira de sábado passado, um grande amigo meu, recente freqüentador de nossa casa e em franco desenvolvimento mediúnico, incorporou várias entidades onde eu o assisti como cambono.  Após uma das incorporações, ainda assustado me perguntou:

— “Cara, o que é isso???”

ao que eu simplesmente lhe respondi: “Umbanda”.

Na festa de Cosme e Damião preparamos uma “chuva de bexigas”.  Nesse momento, os atabaques apenas tocando, os Cosmes convidaram os presentes a estourarem bexigas dos enfeites brincando e pulando quando deixamos cair cascata! Foi uma situação surreal.  Não via mais nada…era o atabaque, as bexigas estourando, uma alegria só!  Por breves instantes a sensação era que não estávamos mais lá. Eu até brinquei dizendo que fomos “abduzidos”.  Foi realmente algo  indescritível.

Durante a Festa dos Pretos Velhos, forramos todo o chão do terreiro com folhas de colônia.  Após isso, o Pai Joaquim “ativou-as” com perfume de alfazema. Foi igualmente surreal!  Não só pra mim mas para todos a quem perguntei, aquele “tapete” foi mágico!  A sensação ao pisarmos na colônia era deliciosamente única.  Bastava dar um passo pra trás, saindo daquele tapete e passava tudo.  Repetimos a experiência várias vezes, e confirmamos.  Fantástico

Nesses momentos, os atabaques soam como se fossem nossos corações, os cantos implacavelmente esvaziam nossas consciências de tudo o que é profano, o cheiro da defumação nos deixa experimentar o Orum, o sorriso das entidades nos dá uma sensação de bem estar indescritível, (particularmente pra mim, me traz sensações que só sentia na infância), as velas acesas parecem estrelas querendo nos contar uma estória, enfim… poder participar de uma Gira de Umbanda definitivamente é um privilégio, é um momento realmente mágico.

Não sou um bom escritor (realmente ler o que escrevo não é nada mágico rsrsrs) mas tentei, dentro de minhas limitações, passar um pouco do que já tive oportunidade de experimentar praticando essa religião que tanto amo, que me da forças a seguir em frente e que me faz simplesmente feliz.

Saravá Umbanda!

468 ad

2 comments

  1. Amo nossa Umbanda!!

    Saravá Umbanda!!!!

  2. Alessandra /

    Realmente isso é magico é uma mistura de emoções ,quando se fossemos transportados para um plano, onde apenas o espirito flutua e o corpo fica neste palno,o coração parece que vai sair pela boca, os pelos do braço ficam em pé, um misto de vontade de chorar ou simplismente agradecer por sermos seres privilegiados com tanta energia boa,acredito que de uns anos para cá a nossa energia se corresponde na mesma sintonia a nossa vibração estajam em afinidades,somos mais unidos fazemos a coisas em união e por isso que cada vez mais e mais os nossos trabalhos tenha se tornado uma energia que é muito muito boa de sentir,tenho muito orgulho de ser desta familia e ter tantas entidades especiais……

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »