Solidariedade

Na Umbanda, como é de conhecimento de todos, não se cobra absolutamente nada por qualquer tipo de atividade; seja passe, consulta ou qualquer tipo de ritual.  Assim foi determinado pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas que explicou a Umbanda como “a manifestação do Espírito para a Caridade.”

A Casa de Pai Joaquim d’Angola e do Caboclo Tupynambá respeita incondicionalmente esta regra.  O que fazemos, com a permissão dos Guias da Casa é aceitar doações de alimentos não perecíveis e transformá-los em cestas básicas que são doadas à famílias carentes.

Como somos um terreiro pequeno, é natural que nossa arrecadação não seja muito grande, mas temos a felicidade de comemorar 562Kg de alimentos doados neste último ano.  É uma idéia que acatamos a pouco tempo e torna ainda mais prazeroso o nosso trabalho, principalmente se levarmos em consideração que a família que ajudamos atualmente conta com 11 pessoas sendo 7 crianças.

É algo que eu ainda não tinha postado publicamente pois “não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita”, porém divulgar isso talvez possa servir de incentivo a que ainda não o faz.  É disso que o mundo precisa; se uma andorinha sozinha não faz verão, bom seria uma revoada!

Obrigado a todos

 

468 ad

One comment

  1. É muito gratificante ver as crianças quando chegamos com a cesta básica.
    No principio fiquei um tanto constrangida, com a idéia de pedir alimentos, tantos anos trabalhamos sem recebermos nada, ao contrario, as vezes davamos o que podiamos, mas a idéia de podermos ajudar outras pessoas foi muito bom, principalmente essa família que nem do nosso terreiro faz parte.
    Tinha medo de que as pessoas que passam por lá achassem que era para nosso uso, Graças à Deus todas as pessoas que frequentam nos conhecem.
    E é assim que vamos continuar sempre, obrigada as essas “entidades” maravilhosas…Saravá!!!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »