IIIBEEEJIIIIIIIIII…

OOOMUUULÚÚÚ…

Tão logo começa o trabalho, os primeiros médiuns são tomados

E ao insistente som dos atabaques, a aflita assistência se cala num silencioso observar onde seus lamentos mentalmente se confundem com os brados dos Caboclos

As ervas queimando e as chamas das velas coloridas sugerem, embora sutilmente, que aquele objeto branco nas mãos dos índios é um pouco mais que giz… e as baforadas dos charutos, portam um pouco mais que fumaça

Insistente, o som dos atabaques continua forçando a porta de mentes tarameladas por criações inconfessáveis

Após o passe, que muitas vezes além de função saneadora também realiza verdadeiras cirurgias, removendo apêndices espirituais benignos… ou malignos, a sensação de leveza se faz notar…

algumas vezes acompanhada de vontade de chorar…

Como é bom voltar a ter consigo mesmo…

sem aquele pesado fardo, tudo é mais fácil

Assim é…

um após outro…

Mais tarde, o corpo cansado pelo trabalho se alegra quando vibra em sua pele o cântico de despedida… docemente ritmado pelos atabaques

Por hoje, resta a alegria da missão cumprida

…e o conforto de uma noite de descanso

IIIBEEEJIII…