O Estalar de Dedos

Porque as entidades estalam os dedos? Esta é uma das coisas que vemos e geralmente não nos perguntamos, talvez por parecer algo de importância mínima, mas esse ato encerra alguns detalhes esotéricos de grande importância.

Ramatís afirma: “A verdade é que vossas mãos, como vossos pés, possuem terminais nervosos, que se comunicam com cada um dos gânglios e plexos nervosos do corpo físico e com os chakras do complexo etérico-astral.”

Essas terminações nervosas das palmas das mãos são há muito conhecidas da Quiromancia e das filosofias orientais.

EnergyHealingestalo dos dedos se dá sobre o Monte de Vênus e dentre as inúmeras funções conhecidas disso, está a retomada de rotação e frequência do corpo astral, “compensando-o” em relação às vibrações do duplo etérico, aumentando a exsudação¹ (liberação, doação) de energia animal – ectoplasma – pela aceleração dos chacras. Com isso se descarregam densas energias áuricas negativas, além do estabelecimento de certas condições psíquicas ativadoras de faculdades propiciatórias à magia e à intercessão no Plano Astral. São fundamentadas nas condensações do fluido cósmico universal, imprescindíveis para a dinâmica apométrica, e muito potencializadas pela sincronicidade entre o estalar de dedos e as contagens pausadas de pulsos magnéticos.

Continua Ramatís: “Já quando bateis palmas, sendo vossas mão pólos eletromagnéticos, a esquerda (-) e a direita (+), quando as duas mãos ou pólos se tocam é como se formassem um curto-circuito, saindo faíscas etéricas de vossas palmas. Quando os pretos velhos em suas manifestações batem palmas, durante os atendimentos de Apometria, é como se essas faíscas fossem “detonadores” de verdadeiras “bombas” ectoplásmicas que desmancham as construções astrais, laboratórios e amuletos dos magos negros.
“Apômetras” e Umbandistas, uni-vos. Continuai estalando os dedos e  batendo palmas, sabedores do que estais fazendo, despreocupados, conscientes e seguros de que as críticas se perderão como pólen ao vento.”

***

(1)  Exsudação: Segregação de líquido viscoso que sai pelos poros  ou  em forma de gotas ou de suor.

fonte: Jardins dos OrixásNorberto Peixoto / Ramatís

468 ad

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »